• Programa de Estágio

Notícias

10/05/2017 16:04

Parceria entre SDE e SAEB facilitará negócios

A SDE e a SAEB assinaram um acordo de cooperação técnica para desenvolver uma plataforma digital, chamada Central de Negócios (CN) a fim de facilitar a comunicação entre empresas e fornecedores. Essa ferramenta tecnológica vai permitir que as 25 mil empresas cadastradas pelo governo tenham visibilidade junto aos contratantes, beneficiando especialmente os micro e pequenos negócios.

“Estamos estruturando um sistema de apoio, que facilite a negociação pela internet, entre fornecedores e consumidores de dentro e fora do estado, principalmente para empresas que estão sendo atraídas para a Bahia, através dos incentivos fiscais e econômicos”, explica Jean Esdras, diretor da SDE.

A Central de Negócios trará facilidades às empresas contratantes e às empresas ofertantes. As empresas contratantes terão informações estruturadas sobre potenciais fornecedores; agilidade na identificação e seleção de fornecedores de bens e serviços; redução de custos na montagem da cadeia de fornecedores; maior transparência no levantamento de informações; maior facilidade na identificação de preços de bens e serviços.
Já as empresas ofertantes terão novas oportunidades de negócios; encadeamento produtivo com empresas âncoras; possível ganho de escala e maior visibilidade junto ao mercado.

Inicialmente a SDE procura contar com o banco de dados da SAEB, de 25 mil fornecedores, denominado Sistema Integrado de Material, Patrimônio e Serviços (SIMPAS), que foi desenvolvido para facilitar as compras governamentais. Nessa ferramenta se admite a inscrição de pessoa física, empresa individual ou coletiva, que passa a integrar o grupo de fornecedores cadastrados, concedendo-lhes o Certificado de Registro, via internet.

Numa segunda etapa serão contemplados novos parceiros como a FIEB, com suas 8 mil indústrias associadas.

Essa iniciativa vai ajudar não apenas as empresas envolvidas, mas também o Estado, proporcionando o mapeamento da demanda dos setores produtivos; possível ampliação dos impactos econômicos decorrentes dos investimentos; fortalecimento dos pequenos negócios e estímulo ao empreendedorismo.

Fonte: Ascom/SDE

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.